FOI A NOITE QUEM ME DISSE

Foi a noite quem me disse que do teu amor floresceriam corpos depois frutos gomos de teu riso.

Foi a noite quem me disse que tu serias a mão da aurora que me afagarias o rosto carícias de luz para espanto das estrelas.

Foi a noite quem me disse que um profundo e denso eu se condensaria das nebulosas da tua volúpia e eu descansaria no teu colo enquanto tu, incandescente davas forma ao nada.

Foi a noite quem me disse com seu turbilhão de êxtases que eu beijasse o teu beijo tateasse as minúcias do teu desejo as ternas labaredas que despem tuas pernas por onde vejo fúria e magma.

Foi a noite quem me disse que sou uma lembrança alada mágoa de uma nuvem dissolvida e que sonho te vestir de pássaro e ser o descanso de tuas penas.

Foi a noite quem me disse antes de romper a manhã que eu te devo o paraíso desde imemoriais centúrias a ti

e a uma singela maçã.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

De todos os ritos de todos os ferros os que melhor nos prendem à rocha dos mitos são os os elos dos grilhões de Eros.

A vida é um punhado de átomos que a vida tomou emprestado do universo, mas logo devolve. Parece que é o tempo passando mas são só seus processos físico-químicos reagindo. Mesmo a eternidade dura pouco

Corra, corra, corra de tudo até à beira do nunca mais até chegares à fronteira do mesmo nada em que te esvais. Então salta em teu próprio abismo queda-te de joelhos, terno reza o silêncio ouro em seu